Oi, aqui é a Ana Stier e não gosto de me definir.


Viajando o mundo descobri minha pluralidade. 


Adoro paçoca e todos os derivados do amendoim (especialmente com chocolate) e amo explorar novas culturas, conhecer novos lugares e principalmente as pessoas deles.

 

Viajo para aprender. 


Acredito que viajar e fazer intercâmbio é uma forma de expansão de consciência, de empatia, e especialmente, de amor.
A gente aprende a amar mais. Percebe que não existe certo e errado, só o diferente.


Minha carreira de viajante começou quando eu tinha 16 anos, não falava nada de inglês, fui morar nos Estados Unidos por um ano em uma casa de família voluntária e estudar em escola pública. Digo que fui picada pelo bichinho da viagem (não tem mais cura!). Passei a colocar viajar como prioridade na minha vida: deixei de comprar roupas, gastar dinheiro com coisas banais porque explorar o mundo passou a ser a minha meta.


Aprendi que estava fazendo o melhor investimento do mundo: comprando ativos para a minha alma, afinal, o que a gente viveu ninguém tira da gente.


Antes de me formar em administração (aliás, até esqueço disso às vezes porque acredito que temos que ser phd em COLOCAR NA PRÁTICA) fui morar na Europa.


Fiz outros 3 intercâmbios e aprendi a falar francês, alemão e italiano. (Sim, a Ana que tinha muita dificuldade com o inglês está aqui pra te dizer que você também pode!)


Digo que não tem dificuldade com um idioma, que resista à uma experiência de intercâmbio. Você VAI aprender, e digo mais, você vai ver que o idioma é só um bônus da experiência toda.

Viajando pelo mundo, percebi que estava também, viajando para dentro de mim. Minhas viagens começaram a ser uma ferramenta de autoconhecimento.

Você vai pra longe de casa, e dentro de si.


Quando estamos sozinhos, lá fora, totalmente fora da zona de conforto, colocamos na prática toda a nossa teoria de : seja forte, se vire, viva o momento.

 

E nessa de me perceber uma viajante dos mundos, comecei a escrever sobre minhas experiências e descobri uma outra paixão. Entrevistei vários autores, pensadores e filósofos sobre a felicidade humana.


Sempre me intrigou o fato de perceber que ao mesmo tempo em termos de território o mundo é tão grande, mas como poderíamos todos os habitantes deste planeta buscarmos a mesma coisa? A tal da felicidade ?!


Me apaixonei por este tema e por sincronidade do destino me colocaram um dia pra falar deste assunto pra 1.500 pessoas no congresso da felicidade.


“Mas quem é você pra falar disso Ana?”


Não sou ninguém, ao mesmo tempo que sou o mundo todo.
Hoje pra mim casa é onde meu coração bate mais forte,
um pouco de cada cultura vibra em cada uma das minhas células. Tenho varias famílias pelo mundo, e meu maior sonho é que haja paz mundial.

Acredito de verdade que não tem outro caminho para ela se não o autoconhecimento por isso resolvi também me especializar em psicologia transpessoal, mas acho que o mais importante mesmo é todos nós nos mobilizarmos para sermos especialistas em SERMOS mais humanos, só isso com muito amor (e meditação) que vai nos trazer o que tanto queremos, a tal da felicidade.

 

Como minha missão é te ajudar a viajar mais, crio conteúdo em minhas redes sociais (@anastier & youtube.com/c/anastier) e cursos online em tom confessional com informações que eu gostaria de ter sabido antes de toda a minha jornada pelo mundo.

 

Espero também te ajudar a descobrir o mundo todo, e se tornar ele.

Estou com você ❤
Com amor,

  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto
  • Ícone do Youtube Preto