• Ana Stier

Viajar é Trocar a Roupa da Alma

Atualizado: 5 de Set de 2019


Antes de você começar a ler, a minha sugestão é dar play nessa música.

Bom, costumo dizer que viajando pelo mundo comecei a viajar para dentro de mim. Através do simples fato de viajar, consigo me conectar comigo mesma, me conhecer melhor, estabelecer uma conexão com quem realmente sou e com tudo o que acredito ser verdade.


Quando viajo, quando mudo de cidade ou quando sinto um chamado para ir, eu vou! Assim sou capaz de descobrir segredos dentro de mim que nunca seriam descobertos dentro da minha zona de conforto.


É incrível que ao quebrar barreiras e paradigmas impostos pela sociedade conseguimos abrir o coração e a mente para novas culturas, novas pessoas e novas experiências que nos transformam profundamente.


Todos os lugares que já estive pelo mundo me fizeram ser a Ana que sou hoje. Cada pessoa que conheci nessa jornada deixou um pedacinho dela em mim. E eu sei que a Ana de amanhã vai se orgulhar muito dos lugares que passou e pelo pedacinho que também deixou em todos que conheceu ao redor do mundo.





Hoje tenho muito orgulho da Ana de ontem, ela deixou de ser acostumada, conformada e cega pela vida que tinha. Até certo ponto era uma vida que não era dela, era a vida que os outros esperavam que ela tivesse. Acreditava que precisava cada vez mais e acabava acumulando tanta coisa que precisou se encontrar primeiro para se perder no mundo depois. Há mais de 10 anos atrás, quando essa Ana viu que não precisava de muito pra viver ela entendeu que a felicidade está sim nas pequenas (e poucas) coisas.


Descobri o verdadeiro sentido de viajar quando entendi a minha real missão.


Me permiti aprender com os lugares, culturas e pessoas com quem estive e me dei conta que tudo na vida vem para nos ensinar algo. Só precisamos saber aceitar, aprender, respeitar e amar tudo que recebemos do Universo.


Quando você abre o peito para a experiência que uma viagem pode proporcionar, você entende que o “vício de viajar” existe para te refazer, te redefinir, te reinventar, para te ajudar a recomeçar.


Não adianta fazer a mala, reservar um hotel, se inscrever em um curso, comprar uma passagem se você estiver apegado à roupa da sua alma de hoje. Se sua alma não se despir do que ela é para agarrar o que ela precisa ser, você nunca vai entender o real sentindo de viajar.


A lição mais incrível que um viajante pode nos dar é o desapego. Sua vida toda não precisa caber dentro de uma casa, ela precisa viajar dentro de uma mala. Desapegar é, sem dúvidas, a maior prova que pertencemos somente a nós mesmo.



Eu quero que você se orgulhe das suas trocas de roupa. Torço para quem você é hoje se orgulhe de quem você foi ontem e que o seu eu de amanhã vibre com tudo o que você tem construído hoje.


A gente precisa viajar mais, para fora e para dentro de si. Só assim vamos aprender a importância da empatia, da diferença e da igualdade, do amor, da força, do perdão, da cura e do recomeço. Quero que você consiga se conectar com a sua essência, derrubando barreiras e realizando todo seu propósito nesse mundo.


Quero que você entenda que é um ser completo, que a felicidade e a paz moram dentro de você e não estão canalizadas em coisas ou em parâmetros impostos pelos outros. Quero que você sinta que quanto mais você buscar pelo novo ao redor do mundo, mais você vai perceber que a sua essência é seu lar.





Quero que você aprenda que por onde passar, as cores, as pessoas, os sorrisos, as culturas vão mudar não só a roupa da sua alma, mas o sentido de toda a sua caminhada. Desapegar do que se veste hoje é conquistar tudo que lutou para ser amanhã. Com Carinho, Ana <3


  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto
  • Ícone do Youtube Preto